domingo, 15 de setembro de 2019

bandeira nacional



bandeira nacional

com palavras
sons
imagens
e versos
inauguro o monumento
no planalto central

araçá azul
domingo no parque
vapor barato
mal secreto

pérola negra
construção
cabeça
poema concreto

arte
poesia
teatro
cinema
pós poema

terra em transe
tropicália
grande sertão
veredas
vidas secas
memórias do cárcere

parangolés
hélio oiticica
artur bispo do rosário
bacurau

seja herói seja marginal

Artur Gomes Gumes
O Poeta Enquanto Coisa





terça-feira, 10 de setembro de 2019

Poéticas




exu cabra da peste oxente

hoje acordei
com uma vontade da porra
de trepar na goiabeira
talvez assim quem sabe
ela me chame de jesus
e tire ele da cruz

ou quem sabe bacurau
pra acabar com os karkamanos
ou quem sabe bacuri

ou talvez até quem sabe
ela me chame
de exu cabra da peste
do nordeste koreano

litania diabólika

gosto de comer
carne de galinha
com quiabo

crivella é uma vela
com a cara do diabo

Artur Gomes
do livro inédito
O Poeta Enquanto Coisa

foto: Alice Lira - no Museu da República
Brasília-DF - festival TransePoéticas - junho - 2018




terça-feira, 20 de agosto de 2019

meteoro



não me conhecerão pelo corpo
pelo tom da minha pele
sarro de mil cigarros
cabide de roupa velha
lume de querosene
inseto de lamparina

não me conhecerão
pelas malas
lonjura dos amarelos
no meu vestido antigo
puído, descosturado
na falta de etiqueta
luneta cuspindo tédio
plaquetas sujando o sangue
dos dias atropelados

estou no fundo dos ossos
do vento tempestuoso
no passo torto das águas
que furam pedras limosas
e atravessam lanternas
nos líquidos olhos dos lobos

Wanessa Monteiro de Barros
Meteoro - Revista n.1 2019
Corsário Satã - Editora
revista.meteoro@gmail.com

terça-feira, 6 de agosto de 2019

overdose NU vermelho



Overdose NU Vermelho
retesar as cores
e os músculos
com os dedos
agarrados no pincel
se faltar carne
pra roçar os óvulos
a gente jorra tinta
no papel

Artur Gomes
do livro Couro Cru & Carne Viva - 1987
poemas escrito especialmente para o dia
em que pintamos o NU no Bar Vermelho

Fulinaíma MultiProjetos
portalfulinaima@gmail.com
(22) 99815-1266 - whatsapp
Mostra Visual de Poesia Brasileira





domingo, 28 de julho de 2019

eu pensando


essa espessa
nuvem de fumaça
arregaça
meus intestinos
me provoca
esse estado de
não sei quantas
adrenalinas
essa besta no cio
esse desatino
e o destino do menino
esse veneno
em cada grão de soja
em cada grão de milho
em cada folha de alface
essa face carcomida
antes dos trinta
e eu pensando

Artur Gomes
o poeta enquanto coisa
Fulinaíma MultiProjetos
portalfulinaima@gmail.com
(22)99815-1266 - whatsapp


segunda-feira, 15 de julho de 2019

sarau dos pretos e das pretas




Sarau dos Pretos e das Pretas
Dia 26 julho 19h - Santa Paciência Casa Criativa
Rua Barão de Miracema, 81 - Campos dos Goytacazes-RJ

um livro de poesia na gaveta
não adianta nada
lugar de poesia é na calçada (Sérgio Sampaio)

Tecidos Sobre a Terra

Terra,
antes que alguém morra
escrevendo prevendo a morte
arriscando a vida
antes que seja tarde
e que a língua da minha boca
não cubra mais tua ferida

convidamos todos os amigos e amigas interessados a falar e ouvir poesia, refletir sobre as nossas origens ancestrais, sobre os tempos atuais, em nosso país, em nossa cidade, e juntos somar ideias para um projeto de Poesia Em Movimento, para itinerarmos pela ruas, praças, calçadas e becos da cidade levando no corpo, na boca, na língua, na alma as múltiplas linguagens poéticas.

Artur Gomes
Fulinaíma MultiProjetos
Coletivo Macunaíma de Cultura
portalfulinaima@gmail.com
(22)99815-1266



poesia é o que me resta



poesia é o que me resta
22 100 anos depois
meu poema
é esse objeto estranho
feito de ferro de barro
alumínio chumbo estanho
nuvem pesada
por cima de cabeças ocas
flecha de índio em sua cara pálida
o brasil perdeu o pau a brasa
destruiu a casa
minha vida
se não fosse poeta
não estaria enfiando
a faca na ferida

não pertenço a essa tripo
a(r)mada de verde amarelo
a minha tribo é mais sacana
fulinaímica sagarana
canibal tupiniquim

venho da mata Cacomanga
das plantações do aipim

antropofágico Goytacá
em overdoses NU vermelho
meu coração DuBoi tatá
Oswald de A ndrade meu espelho

nos roçados de mandioca
pra fabricar minha farinha
vivi na tribo Carioca
com o cordel da Lua Madrinha
nos carnavais do SerAfim

Artur Gomes
o poeta enquanto coisa

Fulinaíma MultiProjetos
portalfulinaima@gmail.com
(22)99815-1266 - whatsapp



bandeira nacional

bandeira nacional com palavras sons imagens e versos inauguro o monumento no planalto central araçá azul doming...